quinta-feira, 2 de julho de 2009

ÀS MULHERES QUE CRUZARAM O MEU CAMINHO


Hoje, quando tomo consciência de quem sou, penso em todas as mulheres que, ao cruzarem o meu caminho, ajudaram a construir meu ser. A elas quero prestar uma homenagem.
À mulher que me fez nascer e que ao me aconchegar e me amamentar, transmitiu-me a segurança de que o mundo era bom e de que o amor constituía o valor mais fundamental. A essa mulher que acolheu minhas necessidades, que sempre me apoiou nas horas difíceis, embora muitas vezes, ao me estender a mão, me dissesse que eu era capaz de andar com minhas próprias pernas e que ela não iria me carregar no colo. Senti raiva, mas fui em frente e descobri em mim uma força insuspeitada. Sou extremamente grata a ela por isso.
Às mulheres que cruzaram o meu caminho e me respeitaram como ser humano, respeitaram minhas características únicas e me amaram como eu era, em vez de me dizer como eu deveria ser para que me amassem.
Às mulheres que cruzaram o meu caminho e que com seu exemplo me mostraram que a vida dentro de nós tem uma imensa força de superação, que as piores tragédias serão superadas, que o riso renasce depois das lágrimas.
À mulheres que cruzaram o meu caminho e me ensinaram que essa força, o amor capaz das maiores doações, a sabedoria, a coragem e a generosidade são manifestações de Deus em nós e com isso me fizeram acreditar em Deus.
Às mulheres que cruzaram meu caminho e me ensinaram que o que eu achava que fosse erro e fracasso, são oportunidades preciosas de aprendizado, e, por isso, não me deixaram paralisada pela culpa, mas me ajudaram a crescer com os acontecimentos da vida.
Às mulheres que cruzaram o meu caminho e que me provaram o valor da verdade como um direito soberano do ser humano: a verdade do nosso desejo; da nossa opinião; da afirmação da nossa realidade pessoal, desde que estejamos abertos para ouvir e acolher a verdade dos outros e negociar com ela.
Às mulheres que cruzaram o meu caminho que por sua amargura, egoismo e futilidade, me mostraram claramente que eu não queria ser assim, e dessa forma me ajudaram a combater os meus aspectos amargos, egoístas e fúteis.
Às mulheres que cruzaram o meu caminho e me mostraram o que eu sou e o que eu não sou, que me apoiaram ternamente com amor, força e confiança, que me chamaram a atenção com carinho, cuja crítica foi uma manifestação do desejo do meu crescimento e da sua crença em mim.
A essas mulheres eu abençôo e agradeço do fundo do meu coração, porque fui fortalecida e libertada através de sua alegria e de seu sacrifício.
Hoje, porém, agradeço as três mulheres da minha vida mais especiais, MINHAS FILHAS. É para elas que dedico este texto.

2 comentários:

Tania Pimenta disse...

Brigadão, mãe. Você tb é uma mulher MUITO ESPECIAL!!!!! Beijins

Du disse...

Que linda homenagem! Parabéns por todo esse amor e carinho derramados em palavras tão belas!

Beijos, boa semana!

Dê uma comidinha ao panda